Agenda

15/Dez

Temos o prazer de reabrir a Galeria 535 com a mostra XINGU Escritas Visuais de Marcia Farias.
A exposição é fruto de uma residência artística desenvolvida e produzida pelo People’s Palace Projects em parceria com AIKAX e NECCULT. Financiado pelo Arts and Humanities Research Council (AHRC) and the Global Challenges Research Fund e realizada pelo projeto Imagens do Povo do Observatório de Favelas.
CURADORIA: Francisco Valdean e Bira Carvalho.

10/Dez

Com a proposta de discutir e romper o ciclo de invisibilidade comum à produção artística negra no Brasil, o Itaú Cultural em parceria com o Observatório de Favelas leva ao Rio de Janeiro a itinerância da Mostra Diálogos Ausentes, realizada na sede do instituto, em São Paulo, em dezembro do ano passado. Com curadoria de Rosana Paulino e Diane Lima, e projeto expográfico de Henrique Idoeta, gerente do Núcleo de Produção do Itaú Cultural, a exposição abre ao público no dia 30 de setembro (sábado), às 16h, no Galpão Bela Maré, e apresenta obras de 17 artistas negros brasileiros das artes visuais, cênicas e do audiovisual, entre individuais e coletivos.

A linha curatorial deriva de uma série de encontros com o mesmo nome realizados durante 2016 e 2017 no instituto, com o objetivo de analisar e dialogar entre público, artistas e especialistas a representação dos negros nos diversos segmentos artísticos e expressões culturais. O resultado exibido na mostra materializa a conexão destas três linguagens, tratando das questões raciais por meio de posicionamentos artísticos traduzidos em variados formatos.

Aline Motta, Yasmin Thayná, Dalton Paula, Gessica Justino, Eneida Sanches, André Novais e os grupos Coletivo Negras Autoras e Capulanas Cia. de Arte Negra são alguns dos artistas com obras expostas na mostra. A instalação composta de gravuras em metal, Transe Iluminado, de Eneida Sanches, aborda o conceito de transe como um fenômeno que, de caráter tanto religioso quanto social, auxilia a representação coletiva da cultura negra da Bahia.

O artista visual Dalton Paula é autor do registro da performance Unguento, uma intervenção realizada em 2015 na cidade de Lençóis, na Bahia, durante a mostra Osso Latino-americana de Performances Urbanas. Ainda entre as obras audiovisuais, há as exibições de curtas-metragens como Kbela, de Yasmin Thayná, Quintal, de André Novais, e Cores e Botas, de Juliana Vicente. As artes cênicas aparecem nas fotografias e vídeos, como é o caso de Exu – A Boca do Universo, espetáculo dirigido por Fernanda Júlia representado por imagens e elementos do cenário por meio de objetos cênicos.

Só no Rio
A itinerância da Mostra Diálogos Ausentes no Rio de Janeiro conta com obras de três artistas que não integraram a montagem em São Paulo: Eustáquio Neves, Gessica Justino e Heberth Sobral. Fotografias da série Estandarte, de Sobral, trazem uma releitura das obras de Jean- Baptiste Debret sobre os costumes de africanos escravizados no Rio de Janeiro utilizando peças de brinquedos. Do fotógrafo e videoartista Eustáquio Neves é apresentada a série A Boa Aparência, que pesquisa, a partir de textos periódicos e classificados de oferta de empregos, o hábito cotidiano de se julgar os negros pela aparência.

A produtora criativa Gessica Justino tem como inspiração para o seu trabalho Barbeiragem: desce o pente, corre a trilha os barbeiros e as relações que se desenvolvem nas barbearias. Uma ligação histórica que nos remete a várias conexões – desde os barbeiros sangradores e curandeiros de meados de 1800 aos de favelas e regiões periféricas do Brasil e do mundo na contemporaneidade. A obra consiste em uma instalação com ambiente deste tipo de salão, com cadeiras, espelhos e acessórios, além de fotografias e um curta-metragem relacionado ao tema. No dia da abertura da exposição, durante três horas, acontece uma ativação deste espaço, e profissionais estarão disponíveis para cortar os cabelos de quem se interessar.

A Mostra Diálogos Ausentes é um convite a conhecer a riqueza da produção de artistas negros contemporâneos no Brasil, ao trazer manifestações das formas de fazer, conceitos e novas visualidades que constituem a produção artística da cultura negra atual. Uma arte que manifesta e transforma diálogos ausentes em diálogos presentes. O evento reforça, ainda, a parceria de longa data entre o Observatório de Favelas e o Itaú Cultural, que, recentemente, apoiou reformas no Galpão Bela Maré: climatização e adequação do espaço a normas de segurança. Estimular essas iniciativas é fruto da convicção do instituto de que a cultura é uma das bases para construir a sociedade.

Sobre a série Diálogos Ausentes
Desde abril do ano passado, o Itaú Cultural realiza a série Diálogos Ausentes com o intuito de analisar entre o público, artistas e especialistas a representação dos negros em uma área de expressão diferente, a cada três meses. Em 2016, o primeiro bloco de três encontros discutiu as artes visuais; na sequência, os debates foram sobre as artes cênicas – com foco no teatro – e, por fim, o audiovisual, sobre o olhar do cinema negro. Neste ano, os debates foram sobre o negro na dança, na literatura e na música, encerrando o ciclo de 2017.

SERVIÇO
Mostra Diálogos Ausentes
Abertura 30 de setembro (sábado), às 16h
Visitação: 1 de outubro (domingo) a 10 de dezembro (domingo)
Terça-feira a domingo, das 10h às 19h
Entrada gratuita
Classificação indicativa: 14 anos
Local: Galpão Bela Maré
Rua Bittencourt Sampaio, 169, Maré
Entre as passarelas 9 e 10 da Avenida Brasil
Rio de Janeiro – RJ

Assessoria de Imprensa
Conteúdo Comunicação
Fone: 11.5056-9800
Cristina R. Durán: cristina.duran@conteudonet.com
Amanda Viana: amanda.viana@conteudonet.com
Karinna Cerullo: cacau.cerullo@conteudonet.com
Roberta Montanari: roberta.montanari@conteudonet.com
No Itaú Cultural:
Larissa Correa
Fone: 11.2168-1950
larissa.correa@terceiros.itaucultural.org.br
Carina Bordalo (programa Rumos)
Fone: 11.2168-1906
carina.bordalo@terceiros.itaucultural.org.br
www.conteudocomunicacao.com.br
www.twitter.com/agenciaconteudo
www.facebook.com/agenciaconteudo

Assessoria de Imprensa do Galpão Bela Maré
Piê Garcia (Observatório de Favelas)
comunicacao@observatoriodefavelas.org.br

10/Nov

👉🏾 A FLUP 2017 VEM AÍ! 🎈

A Festa Literária das Periferias chega a sua 6ª edição! Quem vier ao galpão da ONG Horizonte, no Vidigal, dos dias 10 a 15 de novembro, verá a melhor programação de nossa história!

Estarão conosco o rapper e poeta americano Saul Williams, maior nome da cena de spoken word no mundo. Ele vai participar de uma mesa de debates e apresentará uma de suas incendiárias performances! Também estaremos com Paolo Gerbaudo, referência mundial em estudos sobre populismo e redes sociais, o pensador da “queer culture” Sam Bourcier e o cineasta francês Laurent Cantet, lançando o seu novo filme em pré-estreia exclusiva para a FLUP.

Receberemos também grandes autores brasileiros: o maior comediante do Brasil, Renato Aragão, o jornalista Leonardo Sakamoto, uma das mais importantes vozes contra o trabalho escravo do mundo, o rapper brasiliense GOG e a pesquisadora e ativista Djamila Ribeiro.

Outra pré-estreia será a do filme SLAM – Voz de Levante, dirigido por Tatiana Lohman e Roberta Estrela D’Alva, curadora do Rio Poetry Slam e FLUP Slam BNDES, os campeonatos mundial e nacional de poesia falada! A canadense Sabrina Benaim e o carioca WJ, fenômenos das redes sociais, estão entre os competidores!

A FLUP Parque será a Gincana da Memória, explorando as histórias de formação e resistência do Vidigal, onde, entre outras coisas, as crianças poderão expor nas paredes da favela do Vidigal os rostos dos familiares, moradores que batizaram algumas áreas da comunidade. Essa e outras atividades terão a parceria de artistas como Vik Muniz e o fotógrafo francês J.R!

ESPERAMOS TODOS VOCÊS!

📌 Anota aí:
Endereço: ONG Horizonte | Av. Presidente João Goulart, 290.
Entrada: Gratuita
Classificação: Livre

Confirme a sua presença no evento: https://goo.gl/1NAi2k

05/Nov

Estão abertas até 5 de novembro as inscrições para o Prêmio Gilberto Velho Mídia e Drogas 2017.

Uma iniciativa do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (CESeC), o Prêmio está em sua quarta edição e pretende ampliar e estimular o debate público sobre políticas e legislação relacionadas às drogas, através do reconhecimento de matérias da mídia impressa e da internet que tenham como norte editorial, apuração rigorosa, abrangência, capacidade de investigação, originalidade na abordagem destes temas e dos seus impactos na sociedade além do respeito aos direitos humanos.
1º lugar: 7 mil reais
2º lugar: 3 mil reais
3º lugar: 2 mil reais
Participe e nos ajude a divulgar essa iniciativa de valorização do jornalismo!

Para mais informações, acesse: www.premiogilbertovelho.com.br.

01/Nov

Do dia 01 ao dia 30 de novembro de 2017, acontecerá a terceira edição do CIRCUITO
CINEGRADA. A mostra exibe filmes realizados por cineastas negrxs e passará por 15 bairros da
periferia do Rio de Janeiro, com a intenção de discutir o racismo através do cinema e estimular
a circulação de filmes realizados por cineastas negros e negras, dentro das periferias e favelas
da cidade. Nesta edição o circuito tem como novidade a Colômbia, como país convidado.
O circuito, que este ano tem patrocínio da Rio Filmes, começará no dia 01 de novembro na
comunidade do Fumacê, em Realengo. A festa de abertura contará com o lançamento do filme
longa-metragem do Coletivo CRUA, Quilombo da Caçandoca – uma raiz viva, após o filme,
haverá uma conversa com os representantes da comunidade do Quilombo de Caçandoca,
localizado em Ubatuba, litoral norte de São Paulo.

A mostra continua por todo o mês de novembro. No Méier, dia 26/11, o convidado especial
será o grupo Jongueiro do Afrolaje, após a exibição o debate será com a Mestra Cristina do
Jongo Eledá, de Barra do Piraí e com o Mestre Geraldo, do Jongo de Volta Redonda. No
Complexo do Alemão, dia 25/11, a discussão será em torno do encarceramento negro, com o
coletivo Ocupa Alemão e os diretores do Filme Doce Sonhos, Macário Silva e Arthur Pereira.
Teremos ainda três sessões infantis, no Morro do Sossego (Senador Camará), Jacarezinho e
Irajá, nos dias 9, 10 e 12/11, respectivamente. O Circuito Cinegrada estará presente também
nas universidades UERJ e IFRJ, com os coletivos negros que constroem seus espaços nestas
universidades. Teremos exibição, também, em Pedra de Mangaratiba, Cosmos, Ilha do
Governador, Anchieta, Quintino, Vila Isabel e em Nilópolis e Duque de Caxias na Baixada
Fluminense.

Com a parceria com o Festival Internacional Cine Afro – Fica Kunta Kinte, que acontece em
Medellín na Colômbia, o circuito contará com a exibição de 4 filmes afrocolombianos. A
intenção é ampliar a discussão sobre a questão negra para toda a América Latina.
Foram selecionados 24 filmes, 21 nacionais e 3 da Colômbia. O público da periferia carioca,
poderá assistir a filmes como Chico, dos Irmãos Carvalho, ganhador de 3 prêmios, (direção, som
e prêmio Canal Brasil) no Festival de Brasília, a programação conta com filmes musicais como o
documentário da Tia Ciata, de Mariana Campos e Minas do Rap, de Juliana Vicente, para a
criançada vai rolar a animação Nana e Nilo, de Sandro Lopes, e a Piscina de Caíque, de Raphael
Gustavo.

CRUA – Coletivo Criativo de Rua
Somos um coletivo de artes integradas que tem como objetivo atuar em periferias e locais
marginalizados pela sociedade, proporcionando intervenções culturais que aproveitem o
potencial de cada localidade. Acreditamos que a cultura popular de cada comunidade é de
fundamental importância para o contexto de nossa cidade. Por isso, o nosso objetivo é integrar,
explorar e divulgar a cultura local. Trabalhando colaborativamente com os atores locais para
proporcionar uma troca de saberes, afeto e valorização das identidades periféricas.
——-
Para mais informações e a programação completa:
Fanpage do CRUA https://www.facebook.com/coletivocrua
Fanpage do circuito – https://www.facebook.com/circuitocinegrada/

22/Out

///3ª EDIÇÃO DO LÁ FORA (OUTUBRO) /////

(Conexão Arena Dicró x Parque Ary Barroso)

Cultura e Arte na Penha ao ar livre ♥

A Arena Carioca Dicró desde agosto está realizando o Lá Fora, juntando música, arte e cultura ao ar livre todo último domingo do mês no Parque Ary Barroso , esse mês será no dia 22 de outubro às 16h

Nesse mês da diversidade teremos um dia inteiro voltado para a arte e cultura de todas as linguagens. Com a presença, artistas, músicos . Será uma tarde de música ao vivo, exposições fotográficas, cinema LGBT+ e muito mais!

E para a alegria de todes, por todo evento teremos um piquenique colaborativo! Então quem quiser trazer e fortificar essa ideia vai ser maravilhoso para todo mundo!

Mas e o preço? É totalmente GRATUITO! Pode trazer sua miga, sua mana, seu crush, seu tio que faz a piada do pavê, os 40 sobrinhos e sobrinhas que você tem, ou até mesmo sua plantinha, até porque cada um ama uma companhia do seu jeitinho!

Além de valorizar e fortificar nossa tão querida Leopoldina, vamos encher o espaço de cultura e arte.
Valorizar a cultura suburbana é o nosso lema!

Programação:
– Tarde de Música ao vivo
– DJ tocando o melhor da MPB, Samba, Jazz, Chorinho
– Cineclube LGBT+ (Mês da diversidade)
– Exposição de Fotografias
– Piquenique Colaborativo

#vempraDicró #ocupaAry

Mais informações no evento: https://goo.gl/gVeA29

22/Out

///3ª EDIÇÃO DO LÁ FORA (OUTUBRO) /////

(Conexão Arena Dicró x Parque Ary Barroso)

Cultura e Arte na Penha ao ar livre ♥

A Arena Carioca Dicró desde agosto está realizando o Lá Fora, juntando música, arte e cultura ao ar livre todo último domingo do mês no Parque Ary Barroso , esse mês será no dia 22 de outubro às 16h

Nesse mês da diversidade teremos um dia inteiro voltado para a arte e cultura de todas as linguagens. Com a presença, artistas, músicos . Será uma tarde de música ao vivo, exposições fotográficas, cinema LGBT+ e muito mais!

E para a alegria de todes, por todo evento teremos um piquenique colaborativo! Então quem quiser trazer e fortificar essa ideia vai ser maravilhoso para todo mundo!

Mas e o preço? É totalmente GRATUITO! Pode trazer sua miga, sua mana, seu crush, seu tio que faz a piada do pavê, os 40 sobrinhos e sobrinhas que você tem, ou até mesmo sua plantinha, até porque cada um ama uma companhia do seu jeitinho!

Além de valorizar e fortificar nossa tão querida Leopoldina, vamos encher o espaço de cultura e arte.
Valorizar a cultura suburbana é o nosso lema!

Programação:
– Tarde de Música ao vivo
– DJ tocando o melhor da MPB, Samba, Jazz, Chorinho
– Cineclube LGBT+ (Mês da diversidade)
– Exposição de Fotografias
– Piquenique Colaborativo

#vempraDicró #ocupaAry

Mais informações no evento: https://goo.gl/gVeA29

participe de nossas redes sociais

Siga a gente no Twitter

Receba nosso boletim

Receba o premiado boletim do Observatório de Notícias e Análises.

Endereços e Direções

Rua Teixeira Ribeiro, 535, Maré
Rio de Janeiro – RJ
Cep: 21044-251  /  Mapa Mapa

Telefones:

55 (21) 3105-4599
55 (21) 3888-3220

Ou envie-nos um email

projetos