Rio de Janeiro – Desde julho de 2020, o Observatório de Favelas vem realizando um  diagnóstico sobre as violências contra crianças, adolescentes e jovens durante a pandemia no conjunto de favelas da Maré, zona norte do Rio de Janeiro. Como resultado, a organização lança o e-book “Perspectivas para a prevenção das violências contra crianças, adolescentes e jovens da Maré na pandemia”.O diagnóstico faz parte das ações do projeto “CRIAndo Rede: proteção à vida de crianças e adolescentes da Maré”, uma iniciativa do UNICEF, em parceria com o Observatório de Favelas, Redes da Maré e Luta Pela Paz. 

Segundo Raquel Willadino, diretora do Observatório de Favelas e coordenadora  do estudo,   “o objetivo da pesquisa foi realizar um diagnóstico sobre as violências que atingem crianças, adolescentes e jovens na Maré e o funcionamento da rede de proteção no contexto da pandemia. O estudo busca oferecer subsídios para ações de prevenção da violência e para o fortalecimento da rede de garantia de direitos de crianças, adolescentes e jovens no território”. 

O relatório se divide em dois capítulos: o primeiro apresenta um panorama de dados quantitativos sobre a incidência das violências contra crianças, adolescentes e jovens da Maré. Já o segundo, é dedicado a uma análise qualitativa das percepções coletadas em entrevistas semiestruturadas com jovens, profissionais que atuam em equipamentos públicos da rede de proteção e pessoas que atuam em organizações da sociedade civil na Maré. 

“Crianças e adolescentes, especialmente nas favelas e periferias, têm sido duramente impactados pela pandemia. O prolongado fechamento das escolas, que são espaços essenciais de proteção; a grave crise financeira vivida pelas famílias; e o necessário distanciamento social podem colocar em risco o desenvolvimento e a integridade de meninas e meninos. Por isso, é essencial redobrar o esforço para a rede de serviços públicos e a própria comunidade identificar e prevenir todas as violências” destaca Luciana Phebo, chefe do escritório do UNICEF no Rio de Janeiro.

O estudo destaca os impactos da violência armada – principalmente perpetrada pelo Estado no âmbito de operações policiais – nas vidas de crianças, adolescentes e jovens na Maré, produzindo alteração das rotinas de circulação, fechamento de escolas, medo e dinâmicas de vitimização letal e não letal. Por outro lado, os dados e narrativas coletados também ressaltam impactos positivos da ADPF 635 (ADPF das Favelas) na redução da violência armada no contexto da pandemia. Também foram identificadas dinâmicas de violência contra crianças e adolescentes no contexto intrafamiliar e doméstico que se intensificaram no período da pandemia. 

Já sobre a rede de proteção, a composição de um Conselho Tutelar formado por moradores da Maré desponta como um potencial muito grande para se tornar um articulador estratégico da rede local.

André Rodrigues, um dos coordenadores do estudo, ressalta que a pesquisa que o Observatório de Favelas realizou no âmbito do CRIAndo Rede traz contribuições valiosas para a prevenção da violência contra crianças, adolescentes e jovens da Maré. “Em primeiro lugar, conseguimos realizar um estudo em profundidade, mesmo diante das dificuldades para a realização de uma pesquisa qualitativa na pandemia, que apresenta dimensões estratégicas dos desafios e potencialidades da rede de proteção. Em segundo lugar, produzimos, no processo de pesquisa, dinâmicas que contribuem para a visibilidade e articulação da rede. A esse respeito, eu destacaria a publicação de podcasts que enfocaram temas relevantes como a atuação do Conselho Tutelar na Maré e a organização de dois webinários que serviram para a discussão dos achados da pesquisa e para a abertura de caminhos para a articulação da rede de proteção”.

Diálogos sobre a Pesquisa

Raquel Willadino, André Rodrigues, Leandro Marinho e Marcele Frossard – parte da equipe da pesquisa que conta ainda com a pesquisadora Isabele dos Anjos – também participam da terceira edição do FavelaPOD, o podcast do Observatório de Favelas que tem como tema o trabalho desenvolvido pela instituição no CRIAndo Rede.

O episódio encerra a série de podcast sobre o CRIAndo Rede. No primeiro, o tema foi a atuação do Observatório de Favelas, Redes da Maré e Luta pela Paz na iniciativa. Já o segundo episódio contou com um bate-papo com Conselheiros Tutelares, todos crias da Maré. Todos os episódios estão disponíveis nas principais plataformas de streaming.

Sobre o CRIAndo Rede

Em meio ao contexto da pandemia, o UNICEF e as organizações da sociedade civil Luta pela Paz, Redes da Maré e Observatório de Favelas, se uniram para desenvolver o projeto CRIAndo Rede: proteção à vida de crianças e adolescentes na Maré, Zona Norte do Rio de Janeiro. O projeto aconteceu entre os meses de julho e dezembro de 2020 e teve como objetivo fortalecer a rede de proteção social e políticas públicas com foco em crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade no território, bem como suas famílias. 

SERVIÇO

– Lançamento do e-book “Perspectivas para a prevenção das violências contra crianças adolescentes e jovens da Maré na pandemia”
Acesse em https://bityli.com/ebook-CRIAndoRede
Realização; Observatório de Favelas
Parcerias; Unicef, Luta pela Paz e Redes da Maré

– FavelaPOD #3
Acesse
Anchor – https://bityli.com/defavelasanchor
Spotify – https://bityli.com/spotifydefavelas
Apple Podcasts – https://bityli.com/itunesdefavelas
Deezer – https://bityli.com/DeezerFavelaPOD

Edição – Raphael Carlão
Trilha Sonora – Rodrigo Maré