Rio de Janeiro – O Observatório de Favelas, através do Programa de Direito à Vida e Segurança Pública, torna pública a seleção de candidatas para a segunda edição do curso DELAS: Direitos, Política e Arte – online. O objetivo do curso é fortalecer a capacidade de atuação de mulheres (cisgênero e transgênero) na conquista de seus direitos e no enfrentamento das violências. As inscrições estão abertas de 03 até 14 de maio de 2021. Acesse o edital em https://bityli.com/Edital-DELAS-2021.

O curso oferecerá aulas centradas no enfrentamento a violações de direitos, violência de gênero e letalidade feminina. O contato com o campo artístico será um elemento importante para ampliar as percepções sobre violências de gênero e gerar estratégias de incidência política articuladas com intervenções artísticas.

“No atual cenário, que ainda requer o isolamento social e diante da ampliação dos desafios colocados pelo contexto da pandemia, a reedição do DELAS – Online, é para nós também uma possibilidade de pensar coletivamente em estratégias de articulação de mulheres negras periféricas, cis ou transgêneros em rede, é pensar no fortalecimento das redes de apoio entre essas mulheres”, afirma Thais Gomes, coordenadora executiva do Programa de Direito à vida e Segurança Pública do Observatório de Favelas.

Todo o conteúdo programático será dividido em três módulos, com material gratuito, e as aulas acontecem online, no horário noturno, às 19h,  todas as quartas-feiras, de 02 de junho a 28 de julho. Ao todo são 35 vagas exclusivas para mulheres (Cisgênero/Transgênero) negras e/ou mulheres (Cisgênero/Transgênero) de origem periférica; acima de 18 anos.

Sobre o Observatório de Favelas
O Observatório de Favelas, criado em 2001, é uma organização da sociedade civil sediada no Conjunto de Favelas da Maré,  com atuação nacional. Dedica-se à produção de conhecimento e metodologias visando incidir em políticas públicas sobre as favelas e promover o direito à cidade. Fundado por pesquisadores e profissionais oriundos de espaços populares, tem como missão construir experiências que contribuam para a superação das desigualdades e o fortalecimento da democracia a partir da afirmação das favelas e periferias como territórios de potências e direitos. Atualmente,  desenvolve programas e projetos em cinco áreas: Direito à Vida e Segurança Pública, Arte e Território, Comunicação, Educação e Políticas Urbanas. 

Sobre o Programa de Direito à Vida e Segurança Pública
O Programa de Direito à Vida e Segurança Pública tem como objetivo contribuir para a formulação e implementação de políticas e ações públicas que tenham a valorização da vida como um princípio fundamental. Neste campo, produzimos estratégias de enfrentamento da violência priorizando as dimensões raciais, de gênero, sexualidade, etárias, socioeconômicas e territoriais. A partir de uma perspectiva interseccional, busca-se contribuir com a produção de conhecimento visando subsidiar políticas de prevenção da violência e redução da letalidade; elaborar metodologias de intervenção que fortaleçam mecanismos e redes de proteção à vida; e ações de sensibilização social e incidência política que potencializem a desnaturalização da violência e a priorização da redução de homicídios e feminicídios na agenda pública.

PROGRAMAÇÃO
Módulo 1: DESIGUALDADES E O FAZER POLÍTICO DAS MULHERES
Aula 1: Aula Inaugural 
Aula 2: Desigualdades de Gênero, Raça e Território – Aline Maia  
Aula 3: Aula artística – Baobá: nossas resistências vêm de longe – Thais Ayomide

Módulo 2: VIOLÊNCIAS E RESISTÊNCIAS
Aula 4: Articulação em rede e incidência política no enfrentamento das desigualdades de gênero e raça – Rachel Barros
Aula 5: Múltiplas expressões de violências contra mulheres –  Equipe do Programa de Direito à Vida e Segurança Pública
Aula 6: Aula artística “Iku: uma reflexão sobre ausências” – Thais Ayomide

Módulo 3: REDES DE PROTEÇÃO, INCIDÊNCIA POLÍTICA E ARTE
Aula 7: Equipamentos e redes de proteção de mulheres cis e trans –  Gilmara Cunha e Rafaela Albergaria
Aula 8: Roda de conversa com redes de proteção de mulheres
Aula 9: Aula artística – Memória ancestral: a arte como ato – Thais Ayomide 

SERVIÇO:
DELAS: Direitos, Política e Arte – Online (2ª  edição)
Vagas:
35
Público – Alvo: Mulheres (Cisgênero/Transgênero) negras e/ou mulheres (Cisgênero/Transgênero) de origem periférica; acima de 18 anos.
Inscrições gratuitas: de 03 a 14 de maio de 2021
Link para o Edital:  https://bityli.com/Edital-DELAS-2021.
Resultado da seleção: 25 de maio de 2021
Programa: 02 de junho a 28 de julho de  2021
Local: Aulas online, via ZOOM
Classificação: 18 anos
Realização: Observatório de Favelas
Apoio: Open Society Foundations