Rio de Janeiro – Em 2019, o Observatório de Favelas atinge a maioridade. Sim, completaremos 18 anos de existência e luta por outras narrativas sobre as favelas e periferias da cidade. É também o momento de consolidação da transição que se iniciou no ano passado com a saída da diretoria do nosso fundador, Jailson de Souza Silva (leia aqui seu artigo de despedida). Uns partem, outros chegam. Temos hoje uma diretoria renovada, conselheiros atuantes e dispostos a contribuir nesse processo e um horizonte de possibilidades. E é sobre esses inúmeros desafios que o primeiro “Notícias & Análises” de 2019 se debruçará.

Já de início apresentamos uma novidade: a sessão artigo. Antes, o nosso boletim era composto de 03 reportagens, 01 editorial e uma agenda de atividades. Agora, mudamos. Entendendo que é a nossa força coletiva que nos manterá relevante e atuante na cidade, apostamos na pluralidade de vozes que constituem a instituição. Todo mês, uma “voz” diferente da “equipe OF” contribuirá com o “Notícias & Análises”. O artigo de estreia é “Amar e mudar as coisas nos interessam mais!” de Isabela Souza, diretora do eixo Arte e Território. Em um misto de poesia e conceitos teóricos, ela apresenta utopias. O que a movimenta. O que nos movimenta enquanto instituição para seguir criando e construindo futuros possíveis.

E não dá pra pensar em futuro sem falar em mulher, em mulheres. Pela primeira vez, a nossa diretoria é composta em maioria por mulheres. Logo nesse início de ano também tivemos três profissionais da nossa equipe – Quitta Pinheiro (comunicadora do Galpão Bela Maré), Rebeca Brandão (coordenadora da Arena Carioca Dicró) e Gabriela Anastácia (assessora de imprensa do Observatório de Favelas) – entre os 365 perfis femininos mapeados pelo Huffpost Brasil na série “Todo dia delas”. Não podemos negar que estamos cercados de mulheres incríveis. E não podemos negar também que o Observatório de Favelas é cada vez mais feminino e precisou se transformar para caber os sonhos de tantas de nós. É sobre essas e muitas outras mulheres que a reportagem “Mulheres Protagonistas: uma rede de afetos com o objetivo de utilizar a potencialidade coletiva para dar conta dos anseios individuais” irá tratar. A partir do programa “Mulheres Protagonistas”, uma iniciativa da Arena Carioca Dicró, falaremos sobre o poder feminino. Nas artes, na academia, na política, na sociedade.

E é também sobre poder a reportagem que encerra a edição de janeiro do “Notícias & Análises”. Um poder coletivo que emerge das periferias e favelas para barrar as arbitrariedades que surgem a partir da ascensão de um governo de extrema direita no país. Governo este que, já em 02 de janeiro, assinou uma Medida Provisória (MP) que retira LGBTs das diretrizes dos Direitos Humanos. No país que mais mata LGBTs no mundo. Mas a reportagem “Arte para transcender” é sobre vida. Sobre como nas periferias e favelas da cidade essa população tem reinventado a existência todos os dias. Enquanto sociedade civil, criam estratégias de visibilidade e reconhecimento, como a exposição Bela Verão Transcendências. Uma mostra do Galpão Bela Maré, apoiada pela Funarte e específica para artistas LGBTs e periféricos.

Estamos lado a lado. Disputando narrativas. Construindo outras possibilidades. Acreditando na potência e inventividade advinda dos territórios populares. Amplificando vozes. Apostando na diversidade. E lutando diariamente para reduzir desigualdades historicamente construídas. Aproveitem a primeira edição do ano. Seguimos!