Chegamos em outubro e já apresentamos o número 172 do Boletim NOTÍCIAS & ANÁLISES. Esse mês decide as eleições. No dia 5 votaremos para deputado estadual, deputado federal, senador, governador e presidente. E no dia 26, onde houver segundo turno, votaremos para governador e presidente. É hora de ficar ligado e por isso apresentamos várias opções para ampliar o acompanhamento do processo e os caminhos para participar melhor.

O TSE e também o Google disponibilizam a lista dos candidatos. Assim você pode saber quem se candidata e escolher melhor, quem sabe. O veto x voto é um aplicativo para IOS e ANDROID que permite você vetar ou votar em uma proposta anônima e depois conferir qual o candidato dessa proposta. Assim é possível saber se está mais perto ou mais distante de você. O TRUCO, nome sugestivo, permite que você cheque a veracidade das informações. Essas e outras alternativas você pode encontrar na página do TETO, parceiros que estão, como nós, na esteira da ampliação da democracia e da participação.

Esse é um grande desafio. Temos que conquistar uma democracia com canais de controle social, com espaço de acompanhamento dos eleitos, com instrumentos para cobrar e apresentar propostas. Avançar em ambientes de democracia direta e quase direta é um dos maiores desafios do nosso presente. O que altera nosso futuro é nossa ação no presente, no momento que estamos, portanto, nossa utopia não é um desafio a perder de vista e sim ações que alterem hoje a realidade.

Nesse curso da alteração da realidade agora, a criação de repertórios novos cumpre um papel fundamental. Por isso lançamos, há dois meses, a publicação DIREITO À COMUNICAÇÃO E JUSTIÇA RACIAL. Fruto de uma pesquisa que mapeou veículos de comunicação alternativos, populares e comunitários, a publicação busca oferecer pistas e propostas para ampliar os canais de comunicação. Nesse número publicamos uma matéria importante, que apresenta a importância de atividade que lançou essa importante publicação, além, é claro, de lembrar uma das principais desigualdades a ser superadas no Brasil: o racismo.

Mesmo no século XXI, onde aparece esse elemento novo da tecnologia e da internet na realidade e nas relações humanas, ainda há o desafio de superar os monopólios de comunicação e multiplicar os pontos. Ampliar a potência das organizações populares, em toda a cidade, e potencializar a voz da periferia e das favelas é um grande desafio. Esse veículo de mobilidade simbólica precisa ser turbinado em nossa ação e se transformar cada vez mais em um instrumento que contribua para a ampliação da democracia e superação das desigualdades.

Por isso mesmo apresentamos uma entrevista imperdível com o professor Cesar Romero Jacob, diretor do Departamento de Comunicação da PUC. É um cartão de visita para que conheçam a importante contribuição do ATLAS DAS CONDIÇÕES DE VIDA NA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO. Um convite para pensar o Rio Metropolitano, o que é um grande desafio para os cariocas que viveram em tão pouco tempo como capital do Brasil, estado da Guanabara e agora capital do Estado. Construir uma cultura metropolitana é um desafio fundamental, principalmente para superar as desigualdades, que é um dos pilares da estratégia para o Observatório de Favelas.

Finalmente, nesse percurso em busca da mobilidade plena, apresentamos mais uma vez o Travessias. Estamos atravessando os corpos, com os corpos, a ideia, a arte na vida, a vida da arte. Encontros potentes e impregnados de repertórios estão ocorrendo na Maré e você não pode perder. É importante conhecer, na cabeça, no corpo e na vida, essa linda exposição e todas as propostas, sugestões e estéticas que estão disponíveis. Nossa vida está mudando, sejamos nós sujeitos dessa mudança, com muita arte, conteúdo e sempre no rumo para superar as desigualdades e ampliar a democracia. E essa alteração cultural plena, de encontros, conhecimentos e criação, que assume forma nova com as tecnologias, é um grande desafio para o novo século. O século XXI já chegou, temos agora que construir o século XXI que queremos, com muita solidariedade e ampliando as relações humanas, em todas as dimensões.